Nota de repúdio ao pronunciamento polêmico do presidente Bolsonaro

O presidente da Associação dos Docentes da UEM (ADUEM), Paulo Roberto Paraíso, e o presidente da Seção Sindical dos Docentes (SESDUEM), Edmilson Silva, expressam total repúdio ao pronunciamento do presidente Jair Messias Bolsonaro, proferido em cadeia nacional de televisão, na noite desta terça-feira (24).

Lamentamos e nos preocupamos que diante diante de um quadro de gravidade em relação à saúde pública, o presidente da República em pronunciamento à nação, tenha demonstrado preocupação apenas com a economia e não com o povo brasileiro, notadamente para com os mais desvalidos, pessoas de baixa renda, pequenos e médios empresários, autônomos e profissionais liberais. Ignorando as informações da comunidade científica, em relação a pandemia, tenha colocado o interesse do grande capital e do lucro à frente da proteção da VIDA.

Somos favoráveis a que o governo garanta segurança a todos os cidadãos com medidas de isolamento social, à semelhança do que vem sendo orientado pelos especialistas em saúde e seguido pelos países afetados por essa pandemia.

Estamos de acordo com as medidas tomadas por esses governos acerca do isolamento social, e também defendemos à criação de programas de renda mínima às pessoas menos favorecidas da sociedade e a isenção de pagamentos de água, de luz e outras contribuições nas esferas federal, estadual e municipal. Por outro lado, defendemos a criação de linhas de crédito especiais ao micro e pequenos empresários que serão afetados pelas medidas de restrição de circulação de pessoas e de bens, à semelhança do que vem sendo adotado em outras economias capitalistas desenvolvidas.

Não há como salvar uma economia optando pela morte de milhares de pessoas e se transferindo recursos públicos apenas para salvar os grandes grupos econômicos, como bancos e grandes empresas. O dinheiro público deve ser usado para a população e para os serviços públicos de saúde, para se possa, neste momento, combater essa pandemia de forma eficiente.

Entendemos ser oportuna a defesa da suspensão da PEC dos gastos e a ampliação dos serviços públicos que atendam às necessidades da população.

Somos a favor da vida!

 

Procurar artigos publicados