Reajuste plano SulAmérica

Mas como saber se o reajuste do meu plano de saúde foi abusivo?

Maringá, 28 de julho de 2020.

Solicitações sobre o reajuste anual.
Prezado Elton Luiz da Silva

M. D. Corretor do Seguro Saúde Sul América – APÓLICE Nº 41873 da ADUEM.

Em carta recebida da Sul América em 2020, foi comunicado um reajuste anual de 111,05% em nossa apólice de seguro saúde, no mês de agosto/2020, para iniciar em setembro/2020.
A questão central não é o reajuste da mensalidade, mas sim de aplicar um reajuste anual justo, que não desequilibre o contrato e que possibilite este grupo de associados a continuar nesta apólice, considerando que estamos nela há mais de 25 anos.

Lembra-nos um advogado especialista em planos de saúde, que é de costume, todos os anos, fazer gráficos comparativos com a inflação, com os reajustes da ANS para os planos individuais, familiares e coletivos, com projeções destes índices para o futuro, de forma a provar a necessidade de re-equilibrar o contrato e se possível diminuir o valor da mensalidade.


Mas como saber se o reajuste do meu plano de saúde foi abusivo?

https://www.eltonfernandes.com.br/conteudo/aumento-qualicorp-sulamerica-saiba-como-reduzir.html

Mesmo que seu contrato seja COLETIVO POR ADESÃO ou COLETIVO EMPRESARIAL, caso o reajuste tenha sido superior aos percentuais abaixo, você pode requerer a nulidade destes reajustes e até recuperar valores pagos:
Em 2020 – 7,35% (?)
Em 2019 – 7,35%
Em 2018 - 10,00%
Em 2017 - 13,55%
Em 2016 – 13,57%
Em 2015 – 13,55%
Em 2014 – 9,65%
Em 2013 – 9,04%

Total de Reajuste da ANS nos últimos 08 anos: 121,94%

ANS limita em 7,35% o reajuste de planos de saúde individuais ou familiares

 

                                        Publicado em: 23/07/2019
                                             http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/5080-ans-limita-em-o-reajuste-de-planos-de-saude-individuais-ou-familiares

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou nesta terça-feira (23/07) o percentual máximo de reajuste que poderá ser aplicado nas mensalidades dos planos de saúde individuais ou familiares com aniversário no período de maio de 2019 a abril de 2020. O índice foi estabelecido em 7,35%. A decisão será publicada no Diário Oficial da União em 24/07.

Para chegar a esse percentual, a ANS utilizou, pela primeira vez, uma metodologia de cálculo que combina a variação das despesas assistenciais com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - retirando-se deste último o item Plano de Saúde. Esse modelo baseia-se diretamente no segmento de planos individuais e tem um componente que transfere a eficiência média das operadoras para os beneficiários, resultando na redução do índice de reajuste. Os dados enviados pelas operadoras são auditados e a base é pública, conferindo, assim, maior transparência e previsibilidade.

 

Reajustes do Seguro Saúde Sul América da ADUEM

 

2013                   Índice de 14,69%             6,16% sobre o reembolso
2014                   Índice de 17,21%             8,20% sobre o reembolso
2015                   Índice de 22,58%             Reembolso de 108 reais
2016                   Índice de 14,98%             6,75% sobre o reembolso
2017                   Índice de 12,97%             Sem alteração no reembolso
2018                   Índice de 12,00%             5,00% sobre o reembolso
2019                   Índice de 10,84%             6,05% Reembolso - aplicado
2020                   Índice de 111,05%           7,49% Reembolso - Proposto da Sul América

 

Totalização de Reajuste da SULAMÉRICA em 08 anos: 460,78%

Diferença a maior dos reajustes, em 08 anos, da Sul América em relação aos reajustes da ANS: 152,67%.

Projeção Futura: Se continuar nessa média geométrica anual de 24,05% a.a., nos reajustes da Sul América, em 10 anos a parcela de uma pessoa que hoje está em R$947,45, será de R$8.175,68. Uma família com 02 membros, pagará R$16.351,36 de mensalidade, o que se tornará inviável para todos, muito antes desses 10 anos.


Reajustes dos salários dos participantes

Os participantes (titulares) desta apólice são docentes, servidores públicos, ativos ou aposentados da UEM, e, nesses últimos 08 anos obtiveram os seguintes reajustes anuais em seus salários:


Maio/2013                06,49%
Maio/2014                06,27%
Outubro/2015           03,45%
Janeiro/2016            10,67%
Maio/2017                00,00%
Maio/2018                00,00%
Maio/2019                00,00%
Maio/2020                00,00%

E continuará congelado, no mínimo até 2022.

Total de reajustes dos salários em 08 anos: 29,56%

Enquanto isso, o IPCA(IBGE) do período julho/2013 a junho/2020, índice que mede a inflação do Brasil, foi de 43,32%. A Sul América pretende 460,78% de reajuste para o mesmo período de 8 anos. Lembrando que o IPCA de julho/2019 a junho/2020 alcançou o percentual de 2,13%, esta é a inflação oficial em 12 meses.

Por motivos não analisados, a sinistralidade do período de 12 meses, de julho/2019 a junho/2020 alcançou 80,83%, conforme a carta de reajuste. Em valores nominais, o prêmio totalizou o montante de R$2.438.022,48, enquanto a sinistralidade alcançou R$3.086.032,61, o que aponta um “prejuízo” nominal anual à Sul América de R$648.010,13. O percentual de 80,83 acumula com o reajuste financeiro de 16,71%, implicando num reajuste proposto será de 111,05%.

Portanto, nossa apólice, embora com “pequeno” número de vidas, financeiramente está “desiquilibrada”, e, isso ocorreu somente neste último ano.

Em virtude de todo o exposto, solicitamos que sejam envidados esforços junto a Sul América, para que em agosto/2020, não seja reajustado o prêmio da apólice, continuando no mesmo valor atual por mais 12 meses, ou no máximo o reajuste de 16,71% que é o REAJUSTE FINANCEIRO calculado pela SULAMÉRICA do último ano.

Finalmente, na pior das hipóteses a ser analisada pela SULAMÉRICA, seria diluir a sinistralidade pelos próximos 8 anos, que acumulando com o percentual de reajuste financeiro de 16,71%, totaliza um reajuste neste ano de 2020 de 28,13%.
Na esperança de uma resposta positiva, estamos à disposição para quaisquer outras análises.

 


                                                                                                    Paulo Roberto Paraíso
                                                                                                    Presidente da ADUEM

 

Procurar artigos publicados