Plano Nacional de Educação começa a ser debatido no Paraná

Foi dada a largada para uma ampla discussão na comunidade universitária paranaense sobre o Plano Nacional de Educação que deverá nortear os caminhos da educação no País nos próximos 10 anos. A UFPR será uma das instituições coordenadoras dos debates e, por isso, foi criado nesta sexta-feira, em Curitiba, o Fórum Estadual da Educação/PR. Até o final de junho serão realizados em todo o Paraná 10 seminários para analisar e propor sugestões ao projeto de lei do PNE apresentado pelo Governo, que está para ser votado pelos deputados federais e senadores. O relator desse projeto é o deputado federal paranaense pelo PT Ângelo Vanhoni, a quem caberá a redação final com as emendas.

DISCUSSÕES EM TODO ESTADO
O encontro que criou o Fórum Estadual de Educação/PR foi na Reitoria da UFPR e contou com a presença do secretário estadual de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, Alipio Santos Leal Neto, do reitor Zaki Akel Sobrinho, da diretora do Setor de Educação, Andréia Caldas, Pró-Reitoria de Graduação da UFPR, Maria Amélia Sabbag Zainko, além de representantes das universidades estaduais de Maringá, Londrina, Ponta Grossa e o vice-reitor da UTFPR, Paulo Barbosa. A secretaria estadual de Educação e o ITFR também deverão participar dos debates.

Já durante a criação do Fórum ficou estabelecido um cronograma para os seminários, sendo que o de abertura das discussões e também de encerramento, quando serão definidas as propostas do Paraná para o PNE, serão em Curitiba. O primeiro dia 16 de maio na UTFPR e o último dia 20 de junho na UFPR. Dentro desse período serão realizados os encontros regionais, no Litoral e em Pato Branco, Cascavel, Londrina, Maringá, Guarapuava, Jacarezinho e Ponta Grossa. Os participantes também definiram a criação de dois comitês, um executivo e outro sistematizador dos fóruns, para organizar as propostas.

De acordo com o reitor Zaki Akel Sobrinho, a proposta é fazer um documento com as contribuições do Paraná para o novo plano de educação e, por isso, as universidades particulares também serão convidadas a se integrar no processo e dar opiniões. A análise parte das 10 diretrizes principais do novo projeto. Uma das preocupações, segundo a pró-reitora de Graduação da UFPR, é com a qualidade do ensino. Os dirigentes universitários também têm muitas dúvidas sobre as formas de operação do novo plano para atingir os índices

Fonte: Assessoria UFPR

Procurar artigos publicados