Servidores da UEM assumem vaga no Conselho Fiscal

Por Nelson Martins Garcia
Fonte:Informativo Sinteemar Nº 28 de 08 de Setembro de 2011
Os servidores da UEM, filiados ao Sinteemar José Maria de Oliveira Marques (PRH) e Professor Dr. Nelson Martins Garcia (APS), assumiram as vagas, junto ao Conselho Fiscal da Paraná Previdência, como representantes titulares dos servidores ativos e aposentados, respectivamente.
Os referidos servidores, primeiramente foram indicados pela atual Diretoria do Sinteemar a concorrerem à vaga junto ao Fórum dos Servidores Públicos do Estado do Paraná (FES).

 Uma vez eleitos pelo Fórum, passaram por uma segunda eleição na Secretaria de Administração e Previdência do Estado – SEAP. Nomeados por meio do Decreto nº 2229, de 11.08.11, foram empossados no último dia 25.08.11. Ao tomarem posse, deixaram claro aos demais conselheiros que irão socializar com as entidades sindicais que fazem parte do Fórum todas as informações daquele Conselho Fiscal.
1ª Reunião do Conselho Fiscal da Paranaprevidência
Nessa primeira reunião, ocorrida no dia 25/08/11, além de tomar posse, os representantes do Sinteemar/FES participaram da Reunião Ordinária do Conselho Fiscal, com uma extensa pauta de discussões sobre a prestação de contas referentes ao mês de julho/2011.
Como forma de conhecer o sistema, fomos convidados pela Diretoria da Paranaprevidência a participar da Reunião do Conselho de Administração no mesmo dia e no dia 26/08/11 de um seminário e exposições sobre a situação geral da Paranaprevidência e o sistema de aplicações financeiras da Instituição
Nessas reuniões, externamos aos presentes que estamos representando os servidores públicos, da ativa e os aposentados, do Estado do Paraná, e, portanto, exerceremos essa representação em toda a sua plenitude, com independência e no limite de nossas competências. Por outro lado, buscaremos uma participação ativa, propositiva e sem nos furtar de manter um “canal de comunicação” direta e constante com os representados.
Nossa missão compreenderá em participar, estudar, discutir e nos envolver em todas as dimensões da problemática referente à Paranaprevidência.
Exigiremos transparência das informações, administração eficiente, sistema imune de quaisquer desvios de finalidades e manteremos um diálogo constante e positivo, de forma que todos compreendam, em detalhes, os reais problemas e soluções da Previdência dos Servidores Públicos do Paraná.
Não aceitaremos pacificamente, soluções que venham a prejudicar, direta e indiretamente, os servidores públicos.
A partir de agora, por meio das entidades sindicais que representamos, nosso compromisso é levar informações e indicações para que, em suas instituições e locais de trabalho, todos consigam discutir, se informar e entender a Previdência.
Os servidores devem participar e se informar do nosso sistema de previdência, com alerta, principalmente aos mais jovens servidores, que a Paranaprevidência não é responsável apenas pela aposentadoria dos “velhos”. Qualquer um, independentemente da idade atual, poderá necessitar desse importante instrumento de garantias mínimas de sobrevivência em diversas situações da vida.
É fundamental lembrar que, almejamos a Paranaprevidência como uma instituição perene, forte, sustentável e que sem sobressaltos propicie um futuro digno, em todas as formas de benefícios que nos é garantido pelas constituições e leis próprias.
O mais preocupante que ouvimos nas discussões que participamos nos dias 25 e 26 de agosto último é a necessidade de majorar as contribuições dos servidores ativos e introduzir a contribuição obrigatória dos aposentados. Essas posições ainda carecem de maiores informações e certamente por nós serão questionadas à exaustão.
O que transparece, de forma geral, é um desejo latente e antigo da maioria dos governantes em retirar direitos e introduzir novas regras na previdência, fundamentando-se em estudos técnicos e dados dos quais pouca gente conhece e muitas vezes questionáveis.
Evidentemente, que essa será uma grande batalha! Pois, mudanças na previdência é um projeto oculto dos governantes, estadual e federal, sempre com a premissa, frequentemente falsa ou enganosa, que o sistema público de previdência é deficitário.
Quaisquer mudanças, se realmente necessárias, diferentemente que no passado recente, devem ser enfrentadas com muita luta, discussão e sugestões. Jamais devemos nos conformar com decisões centralizadas em prejuízo dos Servidores Públicos do Paraná. O Governo e seus representantes não podem decidir tecnicamente em nome de todos nós.

Procurar artigos publicados