Governo Beto Richa retalia universidades que resistiram ao Meta4 e bloqueia verba de custeio

Por Fábio Silveira

As três universidades estaduais que se recusaram a aderir ao Meta4, o sistema de gestão de folha de pagamento do governo do Estado, UEL, UEM e Unioeste, por entender que a medida fere a autonomia universitária, sofreram uma retaliação do governo paranaense. A retaliação aconteceu no final da tarde de ontem, com o bloqueio das verbas de custeio das três universidades – só na UEL foram R$ 6,058 milhões –, no mesmo dia em que o governo confirmou o pagamento dos salários (havia o temor de que o governo faria a retaliação com o corte dos salários, ameaça feita quando foi imposto o repasse das informações para o Meta4). O boicote foi informado oficialmente hoje à tarde, no site da UEL, mas as contas estão bloqueadas desde as 18h de ontem. A resistência das universidades ao Meta4 ocorreu porque a medida limitaria a administração de recursos humanos, interferindo nos mínimos detalhes, até na concessão de licenças para a participação em cursos, como doutorado e pós-doutoramento. Na prática, o governo ganharia superpoderes, podendo determinar o que pode e o que não pode ser pesquisado nas universidades. A autonomia universitária é garantida pela Constituição de 1988 e pela Constituição do Paraná.

Aduem realizou homenagem às mães com sucesso de público

Aduem homenageou, no último sábado, todas as mães associadas com um jantar dançante animadíssimo. Cerca de 140 pessoas prestigiaram o evento com a apresentação de Ronaldo Gravino e convidados. Na abertura do evento, as mães foram presenteadas com a boa música instrumental do Quarteto Misto de Cordas do CCH/UEM, incluindo o som maravilhoso de violino. Os participantes elogiaram muito a organização da festa. "Estava tudo lindo. A decoração estava perfeita, o buffet maravilhoso e bem servido, enfim, foi uma noite incrível. Parabéns à equipe da Aduem por nos homenagear com jantar dançante bem planejado e maravilhoso", disse uma mãe.