Greve é suspensa e aulas voltam na segunda (19)

Servidores da Universidade criticam descaso pela educação.

Em assembleia realizada nesta terça-feira (13/08), no RU, técnicos e docentes votaram sim à suspensão da greve geral na Universidade Estadual de Maringá. Depois de 49 dias de paralisação das atividades acadêmicas e de muitas reuniões, debates e manifestações realizadas pelo movimento grevista, a decisão de interromper a greve, porém em manutenção permanente, foi aprovada por unanimidade e as aulas devem voltar dia 19 de agosto.

Antes da votação, durante a plenária, representantes dos sindicatos e das associações criticaram duramente o descaso que a educação que vem sofrendo tanto na esfera estadual, como também nacional. E que de todos os lados existem tentativas a fim de desmobilizar a classe dos trabalhadores da educação, mas que é necessário resistir e continuar na luta em defesa da educação pública e de qualidade.

A presidente da Aduem, Elaine Rosely Lepri, considerou positivo o debate acerca da Lei Geral das Universidades (LGU) que ocorreu durante a greve, bem como outras discussões. Mas não comemorou a proposta do Governador Ratinho Júnior, protocolada na última terça-feira (9/8), de reajuste de 5,08%, com a aplicação de uma parcela de 2% em janeiro de 2020 e mais duas parcelas, de 1,5% cada, em janeiro de 2021 e em janeiro de 2022.  

“Tínhamos uma data-base e, agora, não temos mais. O parcelamento do reajuste também não é algo a ser comemorado. Isso significa que a luta continua, por isso permaneceremos em estado de atenção e podendo voltar à greve a qualquer momento”.

Procurar artigos publicados