Dívida de Ratinho Júnior com os servidores (as) pode chegar a 34% em maio

Refeitos os cálculos após a concessão de míseros 3% de reajuste inflacionário, o FES projetou a defasagem salarial do funcionalismo público do Paraná. A projeção aponta perda de 33,89 %

https://www.facebook.com/391282487731922/posts

/1750715145121976/?sfnsn=wiwspmo

Por FESPARANA

Fonte:

https://fesparana.wordpress.com/2021/12/22/funcionalismo-publico-projecao-do-fes-aponta-defasagem-salarial-de-3389/?fbclid=IwAR1nKhFK_Jrh8HjUEcjoEmCThPYKwTo-wFJQ9f1htyyOjjWUVBbBSbVYSak

Depois dos irrisórios 3% concedidos pelo governo do Paraná ao funcionalismo público a título de reajuste inflacionário, o Fórum das Entidades Sindicais (FES) calculou o que o Estado ainda deve para servidoras e servidoras e projetou os índices até a próxima data base, que será em maio de 2022.

Segundo o economista Cid Cordeiro, assessor do FES, o resíduo a ser pago pelo governador Ratinho Júnior deve somar 33,89%, conforme quadro apresentado abaixo.

“O governador divulgou os três por cento de reajuste como se fosse um grande feito do Estado, realçando as dificuldades financeiras ocasionadas pela pandemia de covid-19. Segundo cálculos do próprio governo, o impacto no orçamento deve ser de 789 milhões de reais por ano. Isso mostra o quanto o governo despreza o funcionalismo público, pois para grandes empresas e setores do agronegócio há um perdão de impostos (renúncia fiscal) de 17 bilhões de reais projetado para 2022”, aponta Ricardo Miranda, membro da coordenação do FES e presidente do Sindicato dos Policiais Penais do Paraná (Sindarspen).

Confira o quadro: